quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Poeta pocinhense toma posse na Academia de Cordel do Vale do Paraíba

O poeta pocinhense Tiago Monteiro tomou posse na Academia de Cordel do Vale do Paraíba no último dia 24 de janeiro, em plenária ocorrida no Espaço Cultural José Lins do Rego, em João Pessoa. Tiago foi indicado pelo presidente da entidade, o poeta Sander Lee, e ocupará a cadeira de número 39, que tem o poeta pernambucano João José da Silva como patrono.
João José da Silva nasceu na cidade de Vitória de Santo Antão em 24 de junho de 1922 e Faleceu em 1997 na cidade onde viveu a maior parte de sua vida, para ampliar, publicar sua obra e criar os seus filhos: Recife.
Tiago Monteiro tem 33 anos, é natural de Pocinhos e tem diversas obras publicadas, com destaque para “Obras de Misericórdia em Versos de Cordel” e “O futuro a Deus pertence”, livreto este lançado no evento que marcou a sua posse.
“Ser imortal da Academia de Cordel do Vale do Paraíba é figurar entre os maiores poetas do Nordeste, o que é motivo de muito orgulho para mim. Estou muito feliz e pretendo honrar o nome dessa entidade tão importante para a manutenção e propagação da literatura de cordel”, comentou Tiago Monteiro.
Em março, acontecerá o lançamento da coletânea nacional “Concursos Novos Poetas – Prêmio Poetiza 2016” que contém o poema “Lição para a vida”, de autoria de Tiago Monteiro.
A coletânea poética de Tiago Monteiro pode ser lida em www.poetatiagomonteiro.com.

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

"Escambo Literário" movimenta cidade de Itabaiana

O coletivo "Sarau das Almas", da cidade de Itabaiana, promoveu no último sábado (07), na sede do Ponto de Cultura "Cantiga de Ninar", o "Escambo Literário", evento baseado na troca de livros e em apresentações culturais.

Poeta pocinhense tem poema selecionado em concurso nacional de poesia

O poeta pocinhense Tiago Monteiro teve o poema “Lição para a vida”, de sua autoria, selecionado no “Prêmio Poetize 2017 – Concurso Nacional de Novos Poetas”, promovido pela editora Vivara.

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Cultura de Migalhas

É público e notório que os poderes públicos, seja a nível nacional, estadual ou municipal, não têm tratado a cultura e os artistas como deveriam. 

O presidente Temer, em uma de suas primeiras ações, unificou o Ministério da Cultura ao da Educação, tentando jogar pelas vielas do esquecimento as grandes conquistas culturais dos último anos. Por sorte, união e pressão dos artistas, ele voltou atrás e o Ministério continua vivo, respirando por aparelhos, mas vivo.