quarta-feira, 12 de abril de 2017

Reforma da Previdência

Poema sobre a Reforma da Previdência que declamei  em Sessão Especial na Câmara Municipal de Pocinhos:
Reforma da Previdência
Foi de grego o presente que ganhamos
Dos gravatas que estão lá em Brasília
É preciso ficarmos em vigília
Pra mantermos o que já conquistamos
Se unidos pelo Brasil estamos
Venceremos o ódio e o rancor
Espremendo de vez esse tumor
Que quer nossos direitos retirar
Nosso povo não pode aceitar
A reforma que querem nos propor.

Terceirizam nossa dignidade
Privatizam a nossa esperança
Os avanços ficaram na lembrança
As conquistas ficaram na saudade
E com essa reforma da maldade
Só quem perde é quem é trabalhador
Dessa forma que querem nos impor
Vou morrer e não vou me aposentar
Nosso povo não pode aceitar
A reforma que querem nos impor.